Santa Cruz de la Sierra

Habla Pueblo!!!

(estamos em La Paz no momento, como a internet onde estavamos não ajudava: a coisa foi ficando atrasada. Então vou colocar o relato do dia 30/12/09, quando chegamos na cidade de Santa Cruz de la Sierra.)

Saímos do famoso “trem da morte” e fomos em direção ao terminal de ônibus para conseguir um transporte para algum lugar para tomarmos um banho e deixar as mochilas. No terminal buscamos pela seção de informações para tentar se achar em uma nova cidade. Nestes terminais é comum um guia ou alguém de algum hotel encontrar gringos para fazer uma propaganda e até mesmo levá-los para o hotel. Conosco não foi diferente, temos cara de gringos e em alguns minutos um cara fazer uma propaganda de um hotel e pedimos pelo mais barato. Perguntei pelo nome do cara e ele respondeu com todo humor: “Luiz Ignácio Lula da Silva”. Começamos a rir e acabamos fazendo um acordo com Lula.

Ele nos levou para fora do terminal e começamos a buscar por um taxi. O difícil numa situação dessas é saber o que é caro e o que é barato, estavamos num lugar novo sem noção de preços e acabamos por optar por pegar um transporte coletivo. Ao esperar por um ônibus surge a idéia de pegar um taxi e fica naquela situação de vamos de ônibus ou vamos de trem. No fim acabou aparecendo um ônibus com a placa 90 e entramos com nossas mochilas. Se acomodamos e fomos pagar a conta. Demos uma nota de cinquenta e valor total do transporte era de doze pesos. Aqui, tanto se faz falar pesos ou bolivianos. Lula devolveu quarenta pesos. Ficamos um pouco desconfiados ao dar cinquenta pesos, felizmente o lula não foi um pilantra e ainda negociou ou pagou do bolso os dois pesos de diferença devido a falta de troco. Perguntamos quanto foi pelo serviço e Lula nos cobrou uma Coca-Cola.

Chegamos ao hotel e negociamos um preço pela estádia dos seis mochileiros e ainda tivemos o luxo de ter banheiro no quarto. Levamos as tralhas pra cima e fomos dar uma volta para buscar comida. Ainda bem que viemos pelo trem da morte e já perdemos o medo de comer a comida boliviano. Achamos um lugar que servia almoço por dez pesos. As refeições na Bolívia seguem uma tradição de refeição completa que inclui uma sopa. Pelo que parece a sopa varia conforme os dias, assim como o molho de pimenta que fica sobre a mesa. Estava chovendo pela cidade.

Aviso feito Tradutor Tabajara.

Preparados para chuva.

Pedimos seis almoços, alguns optaram por frango outros por bife a milanesa e pedimos duas sopas para ver qualé que era a da sopa. A sopa era ótima, e até hoje não vimos novamente a mesma sopa de amendoim. Um de nossos receios na hora de comer algo era a famosa caganeira boliviana tão citada na internet. (fiquem atentos, a Bettina está preparando um post de fotos sobre comidas na Bolívia)

Depois do almoço demos um passeio por Santa Cruz e encontramos o pessoal do Espirito Santo, uma galera que ficamos trocando idéia no trem da morte.

O Pira e Jo estavam procurando uma “peluqueria” pera cortar seus pelos, achamos uma e lá que foram nossos trotaméricas cortar seus cabelos. O Pira optou por passar a máquina mais alta e o Jonxo por um corte mais curto igual da carteira de identidade. Fizeram os cortes com direito a seção de fotos. Eu estava cansado. Deitei no banco e dormi igual um tijolo. Quando acordei a galera já estava com seus cabelos novos.

Pira durante o corte de cabelo.

Jojo dando adios ao pelo e a cara de preocupada da "peluqueira".

Andando por Santa Cruz é possível encontrar algumas mulheres vendendo diversas frutas e consegui encontrar algumas cerejas muito baratas. Comprei meio quilo de cerejas e elas fizeram juz a cada peso pago, estavam muito boas.

Outra curiosidade desta cidade é o transito guiado pelo som. A galera aqui curte uma buzina. Buzinam para entrar na rua, buzinam para alguém que está atrevessando a rua, buzinam para tudo. Também existe uma frota de carros pomposos aqui: vários Toyotas, várias caminhonetes e outros carros de luxo.

No alojamento, decidi reorganizar minha mochila para distribuir o peso de uma maneira melhor. A distribuição do peso influencia muito o modo como você anda e o conforto que a mochila te oferece.

Varal improvisado.

Optamos por fazermos uma janta no quarto do alojamento. Afastamos as camas e abrimos espaços para nosso fogão portátil: a espiriteira. Estavámos um pouco confusos com o álcool aqui na Bolívia e seria um bom teste para ver se poderíamos utilizar o álcool para fazer um rango em uma situação de acampamento.

O cardápio foi o seguinte: macarrão de miojo com brócolis e a Bettina resolveu colocar ovo no nosso. As espiriteiras funcionaram bem e fizemos nosso primeiro rango dentro de um quarto de hotel.

Bette: "La garantía soy Yo".

Depois do rango, lavamos as tralhas e fomos dar um passeio pela cidade em busca de um boteco. Achamos um pub irlandes e optamos por não entrar. Para ir em um pub irlandes temos o Donovan lá em Floripa. Demos uma volta pela cidade e fizemos a constatação que seria difícil encontrar um bar e tomar uma cerveja. Nessa hora o lance é fazer a famosa busca por um mercado, comprar algumas latas e tomar na praça.

Buscando por um mercado fizemos nosso maior achado! Um bar de chineses em plena Bolívia. O cenário era engraçado: donos chineses, um Bolíviano recomendando a melhor cerveja da Bolívia, gatos, uma TV fliperama com um jornal da china acompanhado com uma legendas em chinês e um aquário em um canto. Era um verdadeiro boteco mesmo! Pegamos umas Huaris e depois umas Paceñas.

Depois do boteco voltamos para o alojamento as 23:59. Um minuto de ficar para fora.

Antes de dormir fiz uma fechadura de homem rutez: arrastei a mesa para trancar a porta. Talvez seja um medo paulista que nada tem haver com o que vimos em Santa Cruz.

Vou ficando por aqui,

abraços a todos!

Anúncios

Um pensamento sobre “Santa Cruz de la Sierra

  1. Parabens Eder ….. muito bom seu relato.

    Tinha percebido, sem crer, que o Jo tinha cortado o cabelo !!!! O pai agradece … Hahahahaaaa

    Para o Jo …. Hoje (06/01) é “la fête des rois” … Obvio que comi uma “galette” …. Tava muito boa !!!

    A+
    O boyzinho (meio velinho agorrrra) frances

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s